Novidade para ler na Biblioteca: National Geographic nº 210

Já pode ler o número de setembro da National Geographic na biblioteca.

Destacamos:

O novo rosto de Katie

Em 2014, uma adolescente destruiu a cara num acto fatídico. Três anos depois, foi submetida a um transplante facial. Um relato comovente sobre identidade, trauma e resiliência.

Por terras esquecidas

Entre arribas deslumbrantes em Trás-Os-Montes e um rio que molda a paisagem há vários séculos, a religião encontrou sempre devotos, apesar de as crenças variarem com os séculos.

Passagem para outro tempo

A caminhada angustiante de inspiradora de Paul Salopek revela um Afeganistão em paz e evoca as tensões da atualidade. Sétima reportagem de um projeto iniciado há quatro anos.

Ave rara

O duro casco de queratina do calau-de-capacete desperta a cobiça dos caçadores furtivos. Atualmente, a população desta espécie que ocupa as fronteiras do Sudeste Asiático encontra-se em franco decréscimo.

Cercados pela crise impossível

A guerra civil destruiu o sistema de saúde do Iémen, conduzindo a população para um amargo caos. Organizações não governamentais minimizam a crise todos os dias.

As joias selvagens da Rússia

O fotógrafo russo Sergey Gorshkov capta, há quase duas décadas, fotografias das maravilhas naturais da Rússia, um país que tem um território de cerca de 35 milhões de hectares sob proteção governamental.

 

 

 

Novidade para ler na Biblioteca: SuperInteressante n.º 245

Já pode ler a SuperInteressante de setembro na biblioteca.

Destacamos alguns artigos:

  • Antes do Big Bang – Podemos olhar mais para trás?
  • A vida quântica – Um campo fascinante e polémico.
  • Psicadélicos que curam – Drogas com potencial terapêutico.
  • Síndrome do Tio Patinhas – A avareza.
  • Maldita carne! – Vamos ser todos vegetarianos?
  • Cuidado com os bichos! – Há os que mordem e os que picam.
  • Ninhos metálicos – A nova vida das cegonhas.
  • Catálogo de emoções – Segundo os cientistas, são 27.
  • A mente musical – Uma linguagem sem palavras.
  • Grandes magnicídios – Marcaram um antes e um depois.
  • O poder no feminino – Até ao Neolítico, era tudo diferente.
  • Mulheres livres – a emancipação feminina em imagens.
  • Viajantes da Antiguidade – Dos minoicos aos romanos.

Boas leituras!

Novidade: National Geographic (agosto, 2018)

Já pode ler a edição de agosto de 2018 da National Geographic na Biblioteca.

Em tempo de férias para muitos, olhámos para o sonoo nosso cérebro vive uma aventura incrível de cada vez que dormimos, mas ainda existem mistérios sobre esta prodigiosa máquina humana. As culturas modernas privilegiam o combate ao sono e ao cansaço como símbolo de produtividade. Nesta edição, sublinhamos que o sono é tão decisivo como a actividade.
Acompanhámos também em Portugal a descoberta de mais uma estela com inscrições da escrita do Sudoeste, essa estranha e antiga forma de escrita usada em recantos da Península Ibérica há 2.500 anos.
Na Reserva do Mindelo, criada por pioneiros para proteger aves migratórios, olhámos para o solo e não para o céu. Os anfíbios do Mindelo atraem cada vez mais a atenção de especialistas internacionais.
Em Abril, o fotógrafo Charlie Hamilton James participou no Nat Geo Summit em Lisboa e deu a conhecer um projecto que desenvolvia sobre o uso de venenos contra a fauna selvagem. A reportagem finalmente concluída é arrepiante.
Vale também a pena olhar para um velho baleeiro, cujo destroço foi encontrado na América do Norte. Dos vestígios arqueológicos emergiu uma extraordinária história sobre a caça à baleia no século XVI.
Leia ainda sobre a descoberta de um touro votivo em Picote e muito mais na revista deste mês.
Boas leituras!

DVD Filme Elementos Secretos – Novidade

O filme nº 401 da Biblioteca chama-se Elementos Secretos e foi realizado por Theodore Melfi.

Elementos Secretos conta a incrível história de Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughan (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe) – três brilhantes mulheres afro-americanas que trabalharam na NASA e que foram o cérebro por detrás da projeção do astronauta John Glenn para a órbita terrestre, uma conquista admirável que girou em torno da Corrida Espacial e que reanimou o mundo. O trio visionário transpôs todas as linhas de género e raça e inspirou gerações.